Pe Zezinho: quem não leu o Vaticano II não será capaz de entender a cultura da Igreja

2017-09-13 Rádio Vaticana

Cidade do Vaticano (RV) - No nosso espaço Memória Histórica - 50 anos do Concílio Vaticano II, vamos ouvir no programa de hoje o Padre Zezinho falando sobre a atualidade do Concílio.

Dar o primeiro passo, curar as feridas, reconciliar: a recente visita do Papa Francisco à Colômbia também teve por objetivo fortalecer e incentivar a consolidação do processo de paz que põe fim há decênios de conflito: "Escravos da paz para sempre", foram suas palavras finais aos despedir-se dos colombianos na Missa celebrada em Cartagena.

E a presença de Francisco em terras colombianas foi marcada cada dia por uma temática diferente. No domingo, em Cartagena, última etapa da viagem, o tema foi "Dignidade da pessoa e direitos humanos".

Presente em Roma por estes dia o Padre Zezinho, sacerdote do Sagrado Coração muito conhecido no Brasil. Em entrevista a Silvonei José, o sacerdote  falou de paz, falou de diálogo, e comentou a temática do terceiro dia de Francisco na Colômbia, relacionando-a às propostas do Concílio Vaticano II, que segundo ele, na verdade mal começaram a ser implementas:

"Esta palavra  (dignidade da pessoa humana e direitos humanos) está vindo desde o Papa Pio XII, está vindo de João XXIII, veio muito claramente com Paulo VI - eu lia muito nesta linha - e foi a cada dia melhorando o conceito de paz e construção da paz. E tudo o que veio até agora com o Papa, é consequência do antes do Vaticano e da continuação do Vaticano.

Se a Igreja parar de pensar no Vaticano II, ela vai parar de ser Igreja. Não pode deixar isto no passado. O Vaticano II nem começou de verdade. Um pouquinho. Mas as pessoas já deixaram de ler. E a riqueza que tem ali dentro  é para pessoas cultas. Quem não leu o Vaticano não será capaz de entender a cultura da Igreja.

Como os antigos Padres da Igreja, como os grandes teólogos no século XX e agora no século XXI, ignorar o Vaticano II é falar no vazio. Não acabou não. Agora é que nós estamos começando a entender o que é o diálogo, porque é que foi criado o Vaticano II.

Aí tem gente que acha não precisa mais. Bom, então não deve ter lido! Pois se tivessem lido eles iriam entender que nós não conseguimos implementar nem 10%  do Vaticano II e já querem criar outro. Melhor praticar o outro primeiro."

O Concílio Vaticano II - o XXI Concílio Ecumênico da Igreja Católica - foi convocado no dia 25 de Dezembro de 1961 com a Bula papal "Humanae salutis", do Papa João XXIII, sendo por ele mesmo inaugurado no dia 11 de outubro de 1962. Realizado em 4 sessões, o Concílio terminou somente no dia 8 de dezembro de 1965, já sob o papado de Paulo VI.

Nestas quatro sessões, mais de 2 000 Prelados convocados de todo o planeta discutiram e regulamentaram vários temas da Igreja Católica. As suas decisões estão expressas nas 4 constituições, 9 decretos e 3 declarações elaboradas e aprovadas pelo Concílio. Apesar da sua boa intenção em tentar atualizar a Igreja, os resultados deste Concílio, para alguns estudiosos, ainda não foram totalmente entendidos nos dias de hoje, enfrentando por isso vários problemas que perduram. 

(from Vatican Radio)