Papa: Que o esporte se torne cada vez mais inclusivo

2016-10-05 Rádio Vaticana

Cidade do Vaticano (RV) - O Papa Francisco recebeu, na tarde desta quarta-feira (05/10), na Sala Paulo VI, no Vaticano, cerca de sete mil participantes da Conferência Mundial sobre Fé e Esporte, intitulada “O esporte a serviço da fé”. O encontro prossegue até a próxima sexta-feira (07/10).

A conferência foi promovida pelo Pontifício Conselho para a Cultura, com a colaboração da ONU e do Comitê Olímpico Internacional (COI). Estavam também presentes o presidente do organismo vaticano, Cardeal Gianfranco Ravasi, o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, e o Presidente do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach.

Jogos Olímpicos e Paraolímpicos

“O esporte é uma atividade humana de grande valor, capaz de enriquecer a vida das pessoas, do qual podem fruir e alegrar homens e mulheres de várias nações, etnias e pertença religiosa. Nos últimos meses, vimos como os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos estiveram no centro da atenção mundial. Quando vemos os atletas darem o máximo de suas capacidades, o esporte nos entusiasma, nos causa admiração e nos faz sentir orgulhosos. Existe uma grande beleza na harmonia de certos movimentos, como também na força ou no jogo de equipe. Quando é assim, o esporte transcende o nível puramente físico e nos leva para a arena do espírito e do mistério.” 

Segundo o Papa, “outra característica importante do esporte é que não é reservado aos grandes atletas. Existe também o esporte amador, recreativo, não finalizado a competir e que permite a todas as pessoas melhorar a saúde e o bem-estar, a aprender a trabalhar em equipe, a saber vencer e também perder. É importante que todos possam participar das atividades esportivas. Estou feliz porque nesses dias vocês refletem sobre a importância de garantir que o esporte se torne cada vez mais inclusivo e que seus benefícios sejam realmente acessíveis a todos”.

Valor da inclusão

“As nossas tradições religiosas partilham o compromisso de garantir o respeito pela dignidade de cada ser humano. É bonito saber que as instituições esportivas mundiais  consideram o valor da inclusão. O movimento paraolímpico e outras associações esportivas de apoio às pessoas portadoras de deficiência, como Special Olympics, tiveram um papel decisivo em ajudar o público a reconhecer e admirar as capacidades extraordinárias de atletas com várias habilidades e capacidades. Estes eventos nos presenteiam experiências que ressaltam de modo admirável a grandeza e a pureza do gesto esportivo.”
 
A seguir, o Papa dirigiu o seu pensamento às crianças e adolescentes que vivem às margens da sociedade. “Conhecemos o entusiasmo das crianças que brincam com uma bola vazia ou feita de trapos nos subúrbios de algumas grandes cidades ou nas ruas de pequenos povoados”, disse o Pontífice, encorajando as instituições, empresas, realidades educacionais e sociais, e comunidades religiosas a trabalharem a fim de que estas crianças possam ter acesso ao esporte em condições dignas, especialmente as que foram excluídas por causa da pobreza.

Pureza do esporte

O Santo Padre saudou os fundadores da Homeless Cup e outras organizações que através do esporte oferecem às pessoas carentes a possibilidade de um desenvolvimento humano integral.
 
O Papa designou uma tarefa e um desafio aos participantes da conferência, representantes do esporte e empresas que patrocinam os eventos esportivos. “O desafio é o de manter a pureza do esporte, protegê-lo das manipulações e da exploração comercial. Seria triste para o esporte e para a humanidade, se as pessoas não conseguissem mais confiar na verdade dos resultados esportivos, ou se o cinismo e o desencanto prevalecessem sobre o entusiasmo e a participação alegre e desprendida. No esporte, como na vida, é importante lutar pelo resultado, mas jogar bem e com lealdade é ainda mais importante”, frisou Francisco.

Campanha da ONU

O Papa agradeceu aos presentes pelos esforços na erradicação de toda forma de corrupção e manipulação. “Sei que está em andamento uma campanha promovida pelas Nações Unidas contra o câncer da corrupção em todos os âmbitos da sociedade. Quando as pessoas lutam para criar uma sociedade mais justa e transparente, colaboram com a obra de Deus. Nós, responsáveis por várias comunidades religiosas, queremos dar a nossa contribuição neste sentido. A Igreja Católica está comprometida com o esporte para levar a alegria do Evangelho, o amor inclusivo e incondicional de Deus a todos os seres humanos.”
 
O Papa finalizou o seu discurso manifestando o desejo de que estes dias de encontro e reflexão ajudem a explorar o bem que o esporte e a fé fazem em nossas sociedades, e confiou a Deus o trabalho, as expectativas e esperanças dos participantes da conferência. (MJ)

(from Vatican Radio)