Papa: Jesus é o únco garante da verdadeira paz na nossa vida

2017-07-09 Rádio Vaticana

Cidade do Vaticano (RV) – Hoje, domingo, dia 9 de Julho de 2017, às 12 horas de Roma, o Papa Francisco procedeu à celebração mariana do Ângelus Domini, na Praça de S. Pedro, repleta de fiéis e peregrinos provenientes de diversas partes da Itália e do mundo inteiro.

No Evangelho deste décimo quarto domingo do tempo comum (Mt 11, 25-30), observou o Santo Padre, Jesus disse: “vinde a Mim, todos os que andais cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei”. O Senhor porém, acrescentou o Papa, não reservou estas palavras à uma pessoa em particular, mas é uma mensagem que dirige à todos aqueles que estão cansados e oprimidos da vida.

Quem então pode sentir-se excluído deste convite? Jesus sabe quanto a vida pode ser pesada. Sabe que muitas coisas cansam o coração: delusões, feridas do passado, pesos por carregar e injustiças por suportar no presente, incertezas e preocupações para com o futuro.

Perante tudo isto, disse Francisco, a primeira palavra de Jesus é um convite a reagir: “Vinde”. De facto, o erro que cometemos, quando as coisas vão mal, é permanecermos ali onde estamos. Parece evidente, mas quanto é difícil reagir e abrir-se naqueles momentos. Nos momentos de escuridão brota natural o desejo de estar sozinho consigo próprio, de lamentar-se sobre quanto é injusta a vida, sobre quão são ingratos os outros e como é malvado o nosso mundo.

Mas assim, fechados dentro de nós mesmos, vemos tudo escuro. Então se chega até a familiarizar-se com a tristeza, que assim encontra demora em nós. Jesus, pelo contrário, quer tirar-nos fora destas arreias móveis” e por isso diz a cada um: “Vinde”. A vida de saída é nas relações, em estender a mão e em levantar o nosso olhar em direcção a quem nos ama realmente.

De facto, observa ainda o Papa, sair de si mesmo, não basta, é preciso saber para onde ir. Isto porque, tantas metas são ilusórias: prometem descanso mas só conseguem  distrair por pouco tempo; asseguram paz e divertimento, deixando ao mesmo tempo as pessoas na mesma solidão anterior; são de facto, “fogos de artifícios” . É portanto para evitar tudo isso que Jesus nos indica com precisão para onde ir: “Vinde a Mim”, disse.

Tantas vezes perante à um peso da vida ou à uma situação que nos causa dor, observa Francisco, tentamos falar com alguém que nos escuta, com um amigo, com um perito na matéria. Tudo isso, disse o Santo Padre, é um bem imenso, mas não devemos esquecer Jesus. Não devemos sobretudo, esquecer de abrir-nos à Ele e de Lhe falar da nossa vida, de entregar-lhe as pessoas que nos são caras e as situações da nossa vida. Talvez existem “zonas” da nossa vida que nunca abrimos no nosso diálogo com Ele e que permanecem ainda obscuras, porque nunca viram a luz do Senhor.

Hoje Ele diz a cada um: “Coragem, não se deixe vencer pelo peso da vida, não te feches diante do medo e do pecado, mas vem ter Comigo”.

Jesus, por conseguinte, acrescentou Francisco, nos espera, não para resolver de forma mágica os nossos problemas, mas para nos tornar fortes diante dos nossos problemas. Jesus não nos tira o peso da vida, mas sim a angústia do coração; não nos tira a cruz, mas carrega-a juntamente connosco. Assim, é com Ele, que cada peso da nossa vida se torna leve, pois que Ele é nosso refúgio, o descanso que procuramos.

Quando na vida entra Jesus, afirma ainda Francisco, chega a paz, aquela paz que permanece connosco também durante as provações. Vamos então à Jesus, entreguemos-Lhe o nosso tempo, procuremos encontrá-Lo todos os dias na oração, no diálogo confiante e pessoal, familiarizemos com a Sua Palavra, redescubramos, sem medo, o seu perdão, saciemo-nos com o seu Pão de vida: sentir-nos-emos amados e consolados por Ele.

É Ele mesmo que no los pede quase com insistência. Repete-o ainda no fim do Evangelho de hoje: “aprendei de Mim (…) e encontrareis descanso para a vossa vida”. Aprendamos a ir ter com Jesus e, enquanto nos meses de férias de verão, procuraremos um pouco de repouso de tudo quanto cansa o nosso corpo, não esqueçamos de encontrar descanso verdadeiro no Senhor. Que a Virgem Maria, nossa Mãe, que sempre cuida de nós quando estamos cansados e oprimidos, nos ajude e nos acompanhe até Jesus.

Após a recitação mariana do Ângelus, Francisco saudou cordialmente todos os Romanos, fiéis e peregrinos provenientes de diversas partes da Itália e do mundo inteiro, todos congregados na Praça de S. Pedro para participar da habitual cerimónia do Ângelus Domini e aos quais o Papa agradeceu pela coragem demonstrada, ao permanecerem na Praça de S. Pedro, não obstante o tanto sol e tanto calor. Francisco saudou em particular os fiéis provenientes de bicicleta a partir da cidade polaca de Chelm, pertencente a Arquidiocese de Lublino, na Polónia; a Família polaca de Rádio Maria; as Irmãs da Beata Virgem Imaculada reunidos no Capítulo Geral que inicia próprio hoje; os sacerdotes provenientes de diversos países participantes do curso de formação organizado pelo Instituto Sacerdos de Roma; aos adolescentes do grupo coral “Puzangalan” (esperança) de Taiwan; ao grupo coral Alpino de Palazzolo sull’Oglio e aos fiéis de Conversano (Itália).

Desejo à todos um bom domingo. Por favor, não esqueçam de rezar por mim. Bom almoço e até a próxima.

 

(from Vatican Radio)