Papa Francisco aos Cardeais: Não ceder ao pessimismo

2013-03-15 Rádio Vaticana

Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco recebeu na manhã desta sexta-feira, na Sala Clementina, os membros do Colégio Cardinalício.

Em seu discurso, marcado pelo bom humor, o Pontífice afirmou que este período dedicado ao Conclave foi repleto de significado. Não somente para o Colégio Cardinalício, mas também para todos os fiéis.

“Nesses dias, sentimos o afeto e a solidariedade da Igreja universal, como também a atenção de tantas pessoas que, mesmo não compartilhando nossa fé, olham com respeito e admiração para a Igreja e a Santa Sé. De cada ângulo da Terra, se elevou uma fervorosa e coral a oração do povo cristão para o novo Papa”, disse o Papa Francisco, que recordou como “cheio de emoção” o seu primeiro encontro com a multidão que lotava a Praça S. Pedro.

Com aquela sugestiva imagem do povo orante e alegre ainda impressa em sua mente, manifestou seu sincero reconhecimento aos cardeais , bispos, sacerdotes, pessoas consagradas, famílias e idosos por sua proximidade espiritual. Em especial, saudou seu compatriota Cardeal Jorge María Mejia, que sofreu um infarto e está internado na clínica Pio XI, com quadro estável.

Assim como dois dias atrás, Papa Francisco dirigiu uma saudação especial a Bento XVI, “que nesses anos de Pontificado enriqueceu e fortaleceu a Igreja com o seu magistério, a sua bondade, a sua fé, a sua humildade e sua mansidão, que permanecerão um patrimônio espiritual para todos”.

O encontro desta sexta-feira, disse ainda, é quase um prolongamento da intensa comunhão eclesial vivida neste período. “Alguém dizia, os cardeais são os padres do Santo Padre. Partindo justamente do autêntico afeto colegial que une o Colégio Cardinalício, expresso minha vontade de servir o Evangelho com renovado amor, ajudando a Igreja a se tornar sempre mais em Cristo e com Cristo, a vinha fecunda do Senhor.”

“Jamais cedamos ao pessimismo”, convidou, “àquela amargura que o diabo nos oferece todos os dias. Temos a firme a certeza de que o Espírito Santo doa à Igreja, com o seu sopro poderoso, a coragem de perseverar e também de buscar novos métodos de evangelização, para levar o Evangelho até os extremos confins da terra (cfr At 1,8)”.

Antes de confiar seu ministério à intercessão de Maria, o Papa Francisco exortou os cardeais: “Irmãos, força! A metade de nós está na velhice: a velhice é, por assim dizer, a sé da sabedoria da vida. Os velhos têm a sabedoria de ter caminhado na vida, como o velho Simão e a velha Ana no Templo. E justamente esta sabedoria fez com que reconhecessem Jesus. Doemos esta sabedoria aos jovens: como o bom vinho que com os anos se torna melhor, doemos aos jovens a sabedoria da vida”.

Momentos antes, o Decano do Colégio Cardinalício, Card. Angelo Sodano, expressou a gratidão, em nome de todos os cardeais, pelo Padre Santo ter aceito “com coração grande e generoso” o convite do Senhor a apascentar as ovelhas.

“Certamente é um trabalho empenhativo, mas o Bom Pastor estará sempre ao seu lado e do alto o iluminará o Espírito Santo – aquele Espírito que sempre faz a Igreja rejuvenescer e se renovar continuamente. Saiba, Santo Padre, que todos nós estamos à sua completa disposição, buscando formar com o Senhor o Cenáculo apostólico da Igreja nascente, o Cenáculo de Pentecostes.”

No final da audiência, Papa Francisco saudou pessoalmente cada um dos cardeais.

(BF)