​Num seminário organizado pelo Dicastério para o serviço do desenvolvimento humano integral o convite a procurar ações conjuntas - Para fazer face ao drama de quem foge

2017-06-17 L’Osservatore Romano

Que respostas – imediatas, a médio e a longo prazo – pode dar a Igreja a nível diocesano, regional e nacional, e com a contribuição das organizações católicas e das congregações religiosas, aos principais desafios apresentados pelo atual contexto migratório? Sobre isto foi debatido, a 12 e 13 de junho no palácio de São Calisto, no seminário de trabalho dedicado a migrantes, refugiados e vítimas do tráfico, organizado pela repartição Migrantes e refugiados do Dicastério para o serviço do desenvolvimento humano integral.

No encontro estavam presentes, entre bispos responsáveis e diretores nacionais das comissões para a pastoral de migrantes e refugiados, 36 delegados de 21 conferências episcopais (regionais ou nacionais), 3 representantes da Secretaria de Estado e das missões permanentes da Santa Sé em Nova Iorque e Genebra, e todo o staff da repartição. A variedade das experiências partilhadas, com a sua riqueza e as suas realidades, permitiu olhar para o fenómeno migratório a nível global, sob todos os aspetos, como através de um caleidoscópio onde todas as realidades se refletem e se realçam reciprocamente e dão um valor acrescentado ao trabalho comum.

Michael Czerny e Fabio Baggio