No signo do Jubileu, Papa abrirá iniciativa "24 horas para o Senhor"

2016-03-03 Rádio Vaticana

Cidade do Vaticano (RV) - O mundo inteiro vai imergir na misericórdia de Deus com a iniciativa “24 horas para o Senhor”. Na tarde desta sexta-feira (04/03), com a celebração penitencial na Basílica de São Pedro, o Papa Francisco abrirá a inciativa, que parte de Roma, mas cresceu muito rapidamente e ganhou alcance mundial.

De fato, durante a liturgia penitencial dioceses dos cinco continentes estarão unidas espiritualmente ao Santo Padre para oferecer a todos a possibilidade de fazer experiência pessoal da misericórdia de Deus.

De volta, sexta-feira e sábado, “24 horas para o Senhor”. A iniciativa, que este ano chega à terceira edição, nasceu com o intento de recolocar no centro a importância da oração, da adoração eucarística e o do dom do sacramento da Reconciliação.

“24 horas para o Senhor” representa uma ocasião aberta a todos, até tarde à noite, no coração de nossas cidades, para haurir a misericórdia de Deus – diz um comunicado do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, dicastério vaticano responsável pela organização do Jubileu extraordinário da Misericórdia.

O lema do Ano jubilar “Misericordiosos como o Pai” constitui o fio condutor do evento cujos temas nas precedentes edições de 2014 e 2015 foram, respectivamente, “O perdão mais forte do que o pecado” e “Deus, rico de misericórdia”.

Promovida pelo referido dicastério vaticano com a imediata adesão de muitas dioceses, “24 horas para o Senhor” foi fortemente querida pelo Pontífice. Em 13 de março de 2015, segundo aniversário de sua eleição à Cátedra de Pedro, justamente durante a celebração penitencial Francisco anunciou o Ano Santo da Misericórdia.

Na Bula de convocação do Jubileu (Misericordiae Vultus), o Papa escreveu:

“A iniciativa “24 horas para o Senhor”, a ser celebrada na sexta-feira e sábado que precedem o IV Domingo da Quaresma, deve ser incrementada nas dioceses. Muitas pessoas estão se reaproximando do sacramento da Reconciliação e, entre estas, muitos jovens, que nesta experiência muitas vezes reencontram o caminho para voltar para o Senhor, para viver um momento de intensa oração e redescobrir o sentido da própria vida.”

O presidente do referido organismo vaticano, Dom Rino Fisichella, afirma que é importante ressaltar que “a misericórdia não se reduz ao sacramento da Reconciliação, ela tem um horizonte muito mais amplo, que empenha cada um de nós a tornar-se instrumento da misericórdia para o próximo”. (RL)

(from Vatican Radio)