Francisco no México: o carinho às crianças com câncer

2016-02-14 Rádio Vaticana

Cidade do México (RV) – Terceiro dia do Papa Francisco em terras mexicanas. Neste domingo o Santo Padre depois de saudar os colaboradores e benfeitores da Nunciatura Apostólica se transfere para o Centro de Estudos Superiores de Ecatepec onde presidirá a Santa Missa. A área ao redor do Centro pode conter cerca de 400 mil pessoas. No final da tarde um encontro muito especial.

Francisco vai ao Hospital Pediátrico “Federico Gomez” de Cidade do México. Uma estrutura de excelente nível e especializada em doenças oncológicas e má formações de nascença.  Um hospital público que se ocupa das crianças mais pobres do País. E Francisco vai até essa estrutura para se encontrar com esses pequenos que carregam na sua jovem idade, um fardo de sofrimento não indiferente. O Hospital atende todos os anos cerca de 255 mil crianças: são 6 mil internações ao ano. Ali Francisco irá se encontrar com as crianças internadas e seus familiares. No primeiro momento encontrará 36 crianças e depois se dirigirá ao setor oncológico onde será recebido por 25 crianças com câncer.

Neste lugar há uma ludoteca onde as crianças brincam. No centro da sala um símbolo, um sino. Este sino é somente tocado quando uma criança fica curada do câncer. E é ela mesmo quem o toca: é como se a criança chamasse a atenção do Céu comunicando que ela ficou curada da terrível doença, como se agradecesse a graça recebida. E isso vai ocorrer também na tarde deste domingo quando duas crianças tocarão o sino diante do Papa Francisco. Uma delas chama-se Luz Helena e completou ontem 7 anos, 3 dos quais combatendo a doença.

Entretanto, o ponto alto do dia de ontem da visita de Francisco ao México foi a celebração da Santa Missa na Basílica de Guadalupe durante a qual, na sua homilia evocou a aparição de Nossa Senhora e disse que Deus se aproxima do coração daqueles que perderam seus filhos. O Papa pronunciou palavras de consolo e esperança às vítimas da violência e da dor, ao afirmar que 2as lágrimas dos que sofrem não são estéreis”. As lágrimas “são uma oração silenciosa que sobem até o céu”. Na conclusão da missa o momento de oração em privado do Papa diante da imagem de Nossa Senhora de Guadalupe.

Nestes três dias de Francisco em terras mexicanas pudemos notar o grande amor e carinho que se tem pelo Papa. Um amor recíproco que Bergoglio também demonstra com suas palavras e principalmente gestos. A carícia, o olhar, o beijo, a benção. Tudo a significar a importância que Francisco dá a cada um, singularmente. Os mexicanos entenderam isso e expressam seu amor, enchendo as ruas de Cidade do México com cantos e expressões como “Viva Francisco”.

Mas como se prepararam os mexicanos para esta viagem do Papa? Sobre isso nós conversamos com Padre Manoel Durantes da Sala de Imprensa da viagem papal.

“As pessoas, na sua maioria, se prepararam espiritualmente, com milhares de terços oferecidos por esta visita, adoração eucarística, comunhões. O povo se preparou para recebe o Vigário de Cristo”.

O que esperam os mexicanos desta visita?

“O povo mexicano deve ser protagonista da sua própria história. O Papa vem num momento crítico da sua história. Na sociedade temos muitos problemas. O Papa não vem solucioná-los e os mexicanos não esperam que ele seja um mago, que faça um gesto e os problemas desapareçam. Não é assim, é mais complexa a realidade. Mas o que o Papa vai encontrar é terra fértil. Os mexicanos estão prontos a escutá-lo, escutar a sua mensagem de esperança, a sua mensagem de paz e de misericórdia que ele traz. O Papa vai lançar as sementes e dará indicações de como os mexicanos podem mudar a história do seu país e ser realmente mensageiro da esperança. Assim o povo encontrará no Papa a inspiração e o fundamento para que as novas gerações de mexicanos possam construir uma nova nação, um novo México, um México de misericórdia e de paz”.

Amanhã, segunda-feira, Francisco deixa Cidade do México com destino a Tuxtla Gutiérrez e em seguida a San Cristóbal de Las Casas, onde celebrará a Santa Missa com as comunidades indígenas de Chiapas.

Francisco almoçará com representantes de indígenas. Visitará ainda a Catedral de San Cristóbal, onde estarão reunidos grupos de idosos e enfermos. O dia do Santo Padre em Chiapas termina com o encontro com as famílias no Estádio de Tuxtla Gutiérrez. Depois retorna a Cidade do México.

Dos estúdios da Rádio Vaticano, Cidade do México, Silvonei José.

(from Vatican Radio)