Expo 2017 - Líderes religiosos condenam uso de energia para armas

2017-09-02 Rádio Vaticana

O Cardeal Peter Turkson assinou ontem em Astana, no Kazaquistão, uma Declaração Conjunta com outros líderes religiosos (anglicanos, judaicos, islâmicos) sobre a defesa do ambiente. Nele se empenham a uma maior colaboração com os governos e diversos actores sociais e económicos no sentido de promover sistemas energéticos que estejam realmente ao serviço de toda a família humana. Mostram-se convictos, com base em experiencias destes anos, que as religiões podem ser um forte estímulo para “uma acção concreta a favor da casa comum”. Recordam que os valores religiosos e os preceitos morais,  como não fazer mal aos outros, a solidariedade e a justiça,  “devem plasmar, de modo particular, os pensamentos e as acções dos crentes em relação a uma crescente consciência da necessidade urgente de tutelar a natureza, mas também os irmãos e irmãs, sobretudo os mais vulneráveis.

Recordam ainda que a energia não é um bem criado pelo homem, mas um dom de Deus para o bem de toda a humanidade. Deve ser, portanto, usada com discernimento e sentido de bem comum.

Na Declaração conjunta os lideres religiosos em Astana manifestam mais uma vez o seu apoio à transição em direcção a fontes de energia não poluidoras e à redução da dependência das energias fósseis.

Convidam os Estados a recusarem os projectos em larga escala com impacto social e ambiental negativo e a contrastarem a especulação irresponsável dos recursos energéticos.

Os signatários pedem ainda às empresas, mas também aos consumidores, para não se deixarem guiar apenas pela procura do máximo lucro a breve prazo.

Finalmente a Declaração condena o uso de recursos energéticos para produção de armas, nomeadamente bombas nucleares. 

(DA)

(from Vatican Radio)