Estudo sobre reforma da Cúria Romana encaminha-se para uma nova Constituição: coletiva do Pe. Lombardi

2013-10-03 Rádio Vaticana

Cidade do Vaticano (RV) - Concluem-se nesta quinta-feira, no Vaticano, as reuniões do Conselho de cardeis, o grupo de oito purpurados que tem a tarefa de coadjuvar o Pontífice no governo da Igreja e no projeto de revisão da Cúria Romana.

Os trabalhos tiveram início na manhã de terça-feira. Na quarta-feira o Papa pronunciou-se na sessão da tarde e participou da reunião da manhã desta quinta-feira, antes da audiência concedida aos participantes do encontro promovido pelo Pontifício Conselho da Justiça e da Paz, no 50º aniversário da "Pacem in terris". A propósito dos trabalhos destes dias, o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Pe. Federico Lombardi, concedeu uma coletiva aos jornalistas.

Pe. Lombardi destacou a reforma da Cúria Romana em primeiro plano nos trabalhos do Conselho de cardeais:

"O estudo sobre a "Pastor Bonus" não está voltado para uma simples atualização, com retoques ou modificações marginais, mas para a redação de uma Constituição com novidades realmente consistentes: em suma, creio que podemos esperar uma nova Constituição ao término desse trabalho do Conselho e do Papa com o seu Conselho. Porém, é um trabalho que requer um tempo adequado, evidentemente."

A intenção é evidenciar a natureza "do serviço" por parte da Cúria à Igreja universal e às Igrejas locais, em termos de subsidiariedade e não de centralismo. Inserem-se nesse quadro as funções e o papel da Secretaria de Estado que, efetivamente – observou Pe. Lombardi –, deve ser a "secretaria do Papa":

"A reflexão do Conselho sobre a questão da Secretaria de Estado, das suas funções, do seu papel, é útil para o Santo Padre inclusive justamente neste momento, em vista das orientações que ele queira dar ao próximo secretário de Estado: de fato, em 15 de outubro se terá um novo secretário de Estado que entrará em função e, portanto, evidentemente, pedirá ao Papa que lhe dê suas orientações e indicações. E então, o fato que o Papa, com o Conselho, já tenha começado a refletir sobre funções, o papel da Secretaria de Estado, naturalmente, ajuda o Papa nessa situação, na vigília da tomada de posse do novo secretário de Estado."

Na mesa dos cardeais tratou-se também da hipótese de um moderator curiae, uma possível nova figura de coordenação entre os dicastérios e as repartições da Cúria. Destaca-se também a notável atenção ao papel dos leigos na Igreja, a fim de que haja no futuro ulteriores instituições ad hoc.

Foi também retomado o tema do próximo Sínodo dos Bispos. Esteve também presente, mas não tratado nas sessões de trabalho, o tema da reorganização das administrações temporais e das instituições afins.

Por fim, o estabelecimento de um novo encontro do Conselho de cardeais, ainda não definitivo, que poderá realizar-se nos primeiros meses de 2014, janeiro, fevereiro – aproximadamente. (RL)