Em Oviedo a beatificação de Luis Antonio Ormières fundador das irmãs do santo anjo da guarda - Para educar as meninas pobres

2017-04-21 L’Osservatore Romano

Fez da escola o lugar privilegiado para ajudar cada indivíduo a realizar-se segundo o dom recebido de Deus. Comprometido pessoalmente no campo educativo, Luis Antonio Rosa Ormières (1809-1890), sacerdote e fundador das religiosas do santo anjo da guarda, será beatificado no sábado 22 de abril, em Oviedo na Espanha, pelo cardeal Angelo Amato, prefeito da Congregação para as causas dos santos, em representação do Papa Francisco.

Nasceu a 14 de julho de 1809 numa pequena cidade dos Pireneus franceses, Quillán, numa família profundamente cristã. Em casa recebeu com atenção e carinho os primeiros ensinamentos que marcaram o seu carácter. Segundo o testemunho de parentes e amigos, herdou do pai «um ânimo sincero e leal, uma grande inteligência» e uma natureza «muito engenhosa e jovial, devido a qual encontrava sempre anedotas e brincadeiras para que todos rissem»; e da mãe «uma fé profunda», juntamente com uma formação religiosa sólida e o gosto pela leitura.

Foi um verdadeiro perito em «humanidade». Nele as ideias tornavam-se projetos. Fez da sua inteligência um instrumento de apostolado, graças também a uma propensão particular em perceber os aspetos essenciais das questões e a uma disponibilidade especial para se ocupar das dificuldades dos outros. Era muito sensível à amizade, porque a considerava parte de uma experiência essencial de fé.

Carmen Trejo Delgado, Postuladora