​Congresso no Vaticano sobre desporto e fé - Ao serviço da humanidade

2016-10-04 L’Osservatore Romano

Na tarde de 5 de outubro o Papa Francisco inaugurará na sala Paulo VI o primeiro congresso internacional no Vaticano sobre fé e desporto. Com ele estarão presentes o arcebispo Justin Welby, primaz da comunhão anglicana, e 14 líderes religiosos, entre os quais os representantes dos patriarcas ortodoxos Bartolomeu e Cirilo. Nos três dias de trabalho participarão também Ban Ki-moon, secretário-geral da Onu, e Thomas Bach, presidente do Comité olímpico internacional, com muitos protagonistas do desporto mundial que aceitaram o convite do Pontifício conselho para a cultura.

Motivos e perspetivas da iniciativa foram apresentados na manhã de 4 de outubro, pelo cardeal Gianfranco Ravasi, presidente do dicastério, na sala de imprensa da Santa Sé. «Sport at the service of humanity» é o tema eloquente do congresso, que tenciona relançar o significado autêntico também cultural do desporto no mundo de hoje.

A mensagem de fundo do congresso será transmitida explicitamente na «festa do desporto» de quarta-feira, iniciada pelo jogador de futebol Alessandro Del Piero. Entre os campeões presentes, o corredor meio-fundista do Sudão do Sul Paulo Lokoro, presente nas olimpíadas do Rio com o grupo dos refugiados, e algumas atletas paralímpicas: a esgrimista Bebe Vio, a esquiadora Anna Schaffelhuber e la velocista Giusy Versace. Com elas, também Loretta Clairbone, ícone de Special Olympics, competições para pessoas com deficiências mentais.

«Foram escolhidos três “in” para indicar os três grandes temas da conferência: inclusion, involvement, inspiration», explicou o subsecretário do dicastério, monsenhor Melchor Sánchez de Toca y Alameda. Além disso, o encontro tenciona «lançar a toda a humanidade um movimento global, inspirado em seis princípios transversais: compaixão, respeito, amor, iluminação, equilíbrio e alegria». Enfim, foram significativos os testemunhos apresentados durante a conferência de imprensa por Mario Pescante e por Kashif Siddiqi, muçulmano inglês de origem paquistanesa, com um passado de jogador de futebol profissional e um presente de animador da associação Football for peace.