Cartagena: a bênção do Papa à Obra Talitha Kum

2017-09-10 Rádio Vaticana

Cartagena (RV) – O domingo (10/09) do Papa começou cedo. Às 7h20 (horário  local), Francisco deixou a Nunciatura Apostólica e se dirigiu ao aeroporto militar de Bogotá.

Centenas de milhares de pessoas saudaram o Papa em sua passagem com o papamóvel aberto. A grande multidão dos dois lados das ruas, aclamando o Pontífice, por vezes dificultou a passagem do cortejo papal.

Cartagena das Índias

Cartagena é capital do Departamento de Bolívar e se encontra a 635 km  ao norte da capital, no Mar do Caribe.  É a quinta maior cidade do país e suas mais importantes atividades econômicas são os complexos marítimos, pesqueiros e petroquímicos, além de ser o principal destino turístico do país. 

Ao chegar, depois de 1h30 de voo, o Papa foi recebido por autoridades civis e religiosas, como o arcebispo, Dom Enrique Carvajal. Diante do hangar do aeroporto, foi realizada uma breve apresentação folclórica inspirada no tema ‘dignidade da pessoa’, que marca este último dia de viagem papal em terras colombianas.

A primeira parada de Francisco na cidade de Cartagena foi o bairro São Francisco, onde se situa a Casa para sem-teto da Obra Talitha Kum, uma rede internacional da Vida Consagrada contra o tráfico de pessoas. Na Praça São Francisco de Assis, centenas de pessoas aguardavam o Papa, inclusive muitas meninas assistidas pela Obra que foram recuperadas da escravidão e da prostituição. O Pároco Pe. Elkin Acavedo cumprimentou o Papa, trocando algumas palavras, e Francisco abençoou a pedra fundamental da Casa e fez a seguinte oração:

“Bendito sejas, Senhor, Deus de misericórdia, que em teu Filho destes um admirável exemplo de caridade e por Ele nos encomendou vivamente o mandato do amor; colmai de bênçãos estes teus servidores que se dedicam generosamente à ajuda dos irmãos; faz com que, nas necessidades urgentes, te sirvam fielmente com uma entrega total à pessoa do próximo”.

Em seguida, o Papa percorreu alguns metros em papamóvel até entrar na casa de uma senhora, Lorenza, 77, que há mais de 50 anos é voluntária no refeitório da Obra. 

(cm)

(from Vatican Radio)