Bispos venezuelanos pedem fim de perseguição a dissidentes

2017-08-12 Rádio Vaticana

Caracas (RV) - “Cesse a caça às bruxas contra os cidadãos que pensam de modo diferente do regime”: é o que pede a Comissão Justiça e Paz da Conferência Episcopal Venezuelana num comunicado assinado pelo presidente e pelo vigário geral da Comissão, respectivamente, Dom Roberto Luckert León e Pe. Raúl Ron Braasch.

Bispos denunciam tratamento cruel e desumano nos cárceres

Os bispos da Venezuela denunciam “os muitos ultrajes” sobretudo em relação à situação dos prisioneiros políticos e de criminosos comuns. Ouvindo denúncias das famílias e do Observatório sobre os cárceres venezuelanos, os bispos denunciam o “tratamento cruel e desumano durante as detenções”, “a falta de higiene”, “de medicamentos e cuidados médicos”, “de assistência legal” e “a alimentação precária”, reporta a agência Sir.

Governo e poder legislativo respeitem direitos assegurados pela Constituição

Os bispos denunciam “a falta de respeito a um processo justo”, “a proibição aos familiares de visitar seus entes queridos encarcerados”, todos “direitos fundamentais sancionados pela Constituição da República Bolivariana da Venezuela em vigor”. Por isso, pedem ao governo e ao poder legislativo que “respeitem esses direitos”.

Fim das perseguições e torturas físicas e psicológicas

A Comissão episcopal implora “o fim das perseguições e das torturas físicas e psicológicas” contra esses cidadãos. Ademais, convida “todos os católicos e os homens e as mulheres de boa vontade a rezar não somente por aqueles que sofrem, mas também por quem viola esses direitos humanos”.

Estado de direito seja restabelecido

Os bispos pedem aos cidadãos que “denunciem publicamente os funcionários que violam os direitos humanos” e que o Estado de direito seja restabelecido. “Pedimos justiça”, concluem. (RL/Sir)

(from Vatican Radio)