Aos participantes no Capítulo Geral dos Missionários do Sagrado Coração de Jesus (16 de setembro de 2017)

DISCURSO DO PAPA FRANCISCO
AOS PARTICIPANTES NO CAPÍTULO GERAL
DOS MISSIONÁRIOS DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

Sala Clementina
Sábado, 16 de setembro de 2017

[Multimídia]

 

Amados irmãos!

Recebo-vos com alegria por ocasião do vosso Capítulo Geral e agradeço ao Superior-Geral as suas palavras. Reunistes-vos para refletir acerca da vida da vossa Congregação, rezar e discernir juntos as estradas que o Senhor vos indica para atualizar e dar renovada fecundidade ao carisma que o Espírito Santo doou à Igreja e ao mundo através do vosso Fundador, o sacerdote Jean Jules Chevalier.

Considero particularmente significativo o lema que escolhestes para a preparação que todo o Instituto realizou em vista deste Capítulo: «Tu guardaste até agora o vinho bom» (Jo 2, 10). Com efeito, se por um lado estais conscientes e gratos pelo precioso património de projetos e obras apostólicas que o carisma derramou até agora ao longo do século e meio de vida do Instituto, graças à fidelidade dos coirmãos que vos precederam, por outro compreendeis bem que as suas ricas potencialidades em benefício da Igreja e do mundo não estão esgotadas. Em escuta de quanto o Espírito diz hoje à Igreja e abertos às perguntas da humanidade, sabereis haurir da fonte genuína e inexaurível do carisma um impulso renovado, escolhas corajosas, expressões criativas da missão que vos foi confiada. Precisamente as mudadas condições do mundo atual em relação ao passado, e as novas instâncias do compromisso de evangelização da Igreja, são as condições que exigem e tornam possíveis maneiras novas de oferecer o “vinho bom” do Evangelho para oferecer alegria e esperança a muitos.

Se a inspiração originária do Fundador foi difundir a devoção ao Sagrado Coração de Jesus, hoje vós a compreendeis e atualizais expressando-a numa variedade de obras e ações que testemunham o amor terno e misericordioso de Jesus para com todos, sobretudo para com aquelas porções de humanidade mais necessitadas. Para o poderdes fazer, convido-vos — como recordei com frequência às pessoas consagradas — a «voltar ao primeiro e único amor», a manter o olhar fixo no Senhor Jesus Cristo a fim de aprender d’Ele a amar com coração humano, a procurar e a ocupar-vos das ovelhas tresmalhadas e feridas, e comprometer-vos pela justiça e pela solidariedade com os débeis e os pobres, a dar esperança e dignidade aos deserdados, a ir onde houver um ser humano que espera ser acolhido e ajudado. Ao enviar-vos como Missionários pelo mundo, a Igreja confia-vos este primeiro evangelho: mostrar nas vossas pessoas e com as vossas obras o amor apaixonado e terno de Deus pelos pequeninos, pelos últimos, indefesos e descartados da terra.

Mesmo se também o vosso Instituto, como outros, sofreu nos últimos decénios uma certa diminuição dos seus membros, o aumento das vocações na América do Sul, na Oceânia e na Ásia conforta-vos e dá-vos esperança para o presente e para o futuro. Assim também a formação cristã da juventude, ulterior expressão do vosso carisma, poderá ser garantida e incrementada nas obras do Instituto. Como é urgente hoje a tarefa de educar e acompanhar as novas gerações na aquisição dos valores humanos e no cultivo de uma visão evangélica da vida e da história! Esta, que muitos definem uma verdadeira “emergência educativa”, é sem dúvida uma das fronteiras da missão evangelizadora da Igreja, rumo às quais toda a comunidade cristã está convidada a sair. Na esteira de quanto realizaram os coirmãos que vos precederam e das obras por eles iniciadas, encorajo-vos a tomar iniciativas novas também nesta expressão específica do vosso apostolado.

A Congregação dos Missionários do Sagrado Coração de Jesus ainda hoje conta com um bom número de membros, entre os quais um consistente grupo de religiosos irmãos, e os irmãos, numa congregação, são uma graça do Senhor. Por favor, não cedais ao mal do clericalismo, que afasta o povo, especialmente os jovens, da Igreja, como já tive a oportunidade de recordar noutras ocasiões. Vivei entre vós uma verdadeira fraternidade, que acolhe as diversidades e valoriza as riquezas de cada um. Não tenhais medo de continuar e incrementar a comunhão com os leigos que colaboram com o vosso apostolado, tornando-os partícipes dos vossos ideias e projetos, partilhando com eles as riquezas da espiritualidade que brota do carisma do Instituto. Juntamente com eles e com as irmãs da congregação feminina, ganhará vigor uma «família carismática» maior, que mostrará melhor a vitalidade e a atualidade do carisma do Fundador.

A Virgem Maria, que invocais com o título de Nossa Senhora do Sagrado Coração de Jesus, vos mantenha sempre unidos ao seu Filho, prontos a fazer o que Ele vos disser, e com a sua materna intercessão vos preserve. Acompanhe-vos também a minha bênção, que faço extensiva a todas as vossas comunidades. E, por favor, não vos esqueçais de rezar por mim. Obrigado!