Aos Organizadores e Colaboradores do Jubileu da Misericórdia (28 de novembro de 2016)

SAUDAÇÃO DO PAPA FRANCISCO
AOS ORGANIZADORES E COLABORADORES
DO JUBILEU DA MISERICÓRDIA

Sala Clementina
Segunda-feira, 28 de novembro de 2016

[Multimídia]

 

Queridos irmãos e irmãs, bom dia!

Sinto-me feliz por vos receber depois da conclusão do Jubileu extraordinário para vos exprimir o meu agradecimento pessoal pelo grande trabalho realizado durante o Ano Santo.

Saúdo e agradeço de modo particular ao incansável D. Rino Fisichella. Confiei de forma especial a ele e aos seus colaboradores do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização a gestão do Jubileu, que foi um Ano denso de iniciativas em toda a Igreja, no qual pudemos ver e tocar com a mão os frutos da misericórdia de Deus. No início tive uma simples intuição; o Senhor surpreende-nos como sempre e vai além das nossas expectativas, e assim aquele desejo tornou-se uma realidade que pudemos celebrar com tanta fé e alegria nas comunidades cristãs espalhadas pelo mundo. A Porta da misericórdia aberta em todas as catedrais e nos santuários permitiu que os fiéis não encontrassem qualquer obstáculo para experimentar o amor de Deus. Aconteceu algo verdadeiramente extraordinário que agora deve ser inserido na vida de todos os dias para fazer com que a misericórdia se torne um compromisso e um estilo de vida permanente para os crentes,

Todos vós, de diversas maneiras, tornastes possível que este evento de graça fosse celebrado de modo ordenado e seguro, com grande afluxo de peregrinos e fazendo com que emergisse o profundo valor espiritual que o Jubileu representa. Antes de tudo, dirijo um pensamento agradecido ao Senhor Ministro do Interior, que como responsável da segurança, garantiu aos peregrinos, não só em Roma mas em todo o território nacional, viver este Jubileu com as devidas segurança e tranquilidade. Juntamente com ele agradeço ao Chefe da Polícia e ao Comissário de Roma que juntamente com a Gendarmaria do Vaticano demonstraram como a colaboração recíproca pode realmente oferecer serviços de segurança, beneficiando todos. Agradeço aos membros da Comissão bilateral entre a Santa Sé e o Governo italiano, na pessoa do Subsecretário da Presidência do Conselho. Não posso esquecer o Corpo da Guarda Suíça e todas as Instituições do Vaticano, em particular o Governatorado e a Basílica de São Pedro pelo grande sentido de dedicação. Dirijo também um pensamento reconhecido ao esforço realizado pelos Responsáveis da Região do Lácio, com o Presidente, sobretudo pela programação meticulosa das estruturas médicas. À Secretaria Técnica, presidida pelo Prefeito de Roma, que reunia as diversas instâncias administrativas, entre as quais a Câmara Municipal de Roma, vai o aplauso por ter consentido uma realização eficaz de todos os eventos jubilares.

Por fim, dirijo um pensamento de vivo agradecimento aos numerosos Voluntários provenientes de diversas partes do mundo e a quantos colaboraram com o seu trabalho diário, frequentemente silencioso e discreto, tornando este Jubileu extraordinário um verdadeiro evento de graça.

«Se quiseres obter misericórdia, tu mesmo deves ser misericordioso» (Agostinho, Sermão 259, 3). Estas palavras de Santo Agostinho possam servir de conforto para todos nós. Com o vosso compromisso não só oferecestes uma contribuição competente mas desempenhastes um verdadeiro serviço de misericórdia aos milhões de peregrinos que vieram a Roma. Possa este vosso esforço ser recompensado pela experiência de misericórdia que o Senhor não vos deixará faltar. Obrigado.