Ao Rabino Abraham Skorka (23 de fevereiro de 2017)

DISCURSO DO PAPA FRANCISCO
AO RABINO ABRAHAM SKORKA
PARA A APRESENTAÇÃO DE UMA NOVA EDIÇÃO DA TORÁ

Sala Clementina
Quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

[Multimídia]

Caros amigos!

É com alegria que transmito a minha cordial saudação a todos vós, que viestes para a apresentação de uma nova e preciosa edição da Torá. Estou agradecido ao Rabino Abraham Skorka, irmão e amigo, pelas palavras que me dirigiu, e agradeço profundamente a todos vós porque tivestes este pensamento, que hoje nos faz reunir ao redor da Torá, ou seja, em volta da dádiva do Senhor, da sua Revelação, da sua Palavra.

A Torá, que São João Paulo II definiu «o ensinamento vivo do Deus vivo» (Discurso aos participantes na celebração do 25º aniversário da Declaração «Nostra aetate», 6 de dezembro de 1990, 3), manifesta o amor paterno e visceral de Deus, um amor feito de palavras e de gestos concretos, um amor que se torna aliança. E exatamente este vocábulo, aliança, é rico de ressonâncias que nos irmanam. Deus é o Aliado maior e mais fiel. Ele chamou Abraão para formar a partir dele um povo que se tornasse uma bênção para todas as populações da terra, e sonha com um mundo em que os homens e as mulheres estejam unidos a Ele e portanto vivam em harmonia entre si e com a criação. No meio de tantas palavras humanas que infelizmente impelem à divisão e à competição, estas palavras divinas de aliança abrem diante de todos nós caminhos de bem que devemos percorrer juntos. Além disso, a presente publicação constitui o fruto de uma «aliança» entre pessoas de diferentes nacionalidades, idades e confissões religiosas que souberam trabalhar em conjunto.

O diálogo fraterno e institucional entre judeus e cristãos já está consolidado e é eficaz através de um confronto contínuo e colaborativo. Este vosso dom de hoje insere-se plenamente em tal diálogo, que não se exprime apenas mediante palavras, mas também com gestos. A ampla parte introdutória, acrescentada ao texto, e a nota do Editor põem em realce esta atitude de diálogo, manifestando uma visão cultural aberta, no respeito recíproco e na paz, em sintonia com a mensagem espiritual da Torá. As importantes Personalidades religiosas que trabalharam nesta nova edição prestaram atenção especial também à envergadura literária do texto, mas inclusive as inestimáveis gravuras coloridas acrescentaram um valor suplementar a esta publicação.

Contudo, cada edição da Sagrada Escritura contém uma importância espiritual que ultrapassa infinitamente o seu valor material. Peço a Deus que abençoe todas as pessoas que colaboraram para a realização desta obra, e de maneira particular todos vós, aos quais renovo o meu agradecimento pessoal.

Obrigado!